sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Convite Eca - 20 anos - SESI

Venho convidá-los a participar do evento "Juntos pelo ECA", em comemoração aos 20 anos do Estatudo da Criança e do Adolescente:
Quando: 21 de setembro de 2010, das 8h30 às 18h Onde: Teatro do SESI-SP - Av. Paulista, 1313 Estação do metrô Trianon-Masp.
Para realizar sua inscrição e verificar a programação completa, acesse o site: http://www.juntospeloeca.com.br/
Contamos com sua participação e fiquem à vonta de para divulgá-lo!
Obrigado!
Eduardo Nishida
SESI

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

ODM Planejamneto Estetégico

Caros integrantes e simpatizantes do Movimento Nós Podemos São Paulo,

Entre setembro de 2009 e julho de 2010, concebemos e referendamos de forma participativa as diretrizes para o planejamento estratégico do movimento, assim como a Carta de Adesão e a Carta de Princípios.

O Movimento Nós Podemos São Paulo, deu início em agosto de 2010, a uma nova etapa, a construção conjunta do planejamento estratégico a partir das diretrizes referendadas. Para realizar este trabalho, o movimento ODM do Estado de São Paulo, se dividiu em quatro focos de trabalho, lembrando sempre que estes são unidades inter-relacionadas e que colaboram para o todo:


FOCO 1: Governança e Planejamento Estratégico

FOCO 2: Plano de ação para a Mobilização e Articulação

FOCO 3: Plano de ação de Comunicação

FOCO 4: Plano de ação de Indicadores

Este é um trabalho que vem ocorrendo de forma voluntária, participativa e democrática. É um processo trabalhoso e demorado, que muitas vezes requer paciência, tolerância e o refinamento da escuta ativa. Conseguir construir este processo de forma coletiva, significa que o Planejamento Estratégico do movimento será mais rico em termos de complexidade, amplitude e sentimento de pertencimento.

Todas as semanas, iniciaremos o processo de "construção" de uma agenda, dos encontros do mês.
Caso houver interesse em adquirí-lá, solicite-nos!
Sua participãção é sempre muito importante para que possamos juntos contribuir com um mundo melhor para todos.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

NÃO PERCAM....ODM Humanizando os Indicadores no Estado de SP - (20/08/2010)

INSCREVAM-SE!!!

PROGRAMAÇÃO
DINÂMICA:
A cada quadro estatístico ODM do Estado de São Paulo convidados especiais farão uma breve exposição das suas histórias, experiências e contribuições para a melhoria dos indicadores e metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (conforme programa abaixo)

ESTATÍSITCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO (SEADE)

Maria Paula Ferreira é chefe da Divisão de Metodologia e Métodos Quantitativos da Fundação SEADE. Responsável pela criação de indicadores socioeconômicos e técnicas estatísticas e coordenadora técnica do Relatório Estadual de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, realizado pela Fundação Seade em conjunto com a Secretaria de Economia e Planejamento e IPEA. Bacharel em estatística, mestre em epidemiologia pela Faculdade de Saúde Publica da Universidade de São Paulo e doutora em medicina preventiva pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

ODM 1 – ERRADICAR A EXTREMA POBREZA E A FOME

Economia Solidária e a Segurança Alimentar e Nutricional
Ana Flavia Borges Badue, mestre em saúde pública pela USP, representa o segmento dos consumidores na Comissão de Produção Orgânica do Estado de São Paulo e atua como educadora ambiental com foco em consumo responsável e na coordenação de projetos do Instituto Kairós.

ODM 2 – UNIVERSALIZAR A EDUCAÇÃO PRIMÁRIA

Garantir Educação de Qualidade
Maria Lucia Meirelles Reis, fundadora e diretora do Centro de Voluntariado de São Paulo e do Faça Parte – Instituto Brasil Voluntário e fundadora e membro do Conselho de Governança do movimento Todos pela Educação.

ODM 3 – PROMOVER A IGUALDADE ENTRE OS SEXOS E A AUTONOMIA DAS MULHERES

A mulher saiu do anonimato e da invisibilidade?
Dra. Maria Laia, responsável pela Coordenadoria dos Assuntos da População Negra – CONE, da Secretaria Municipal de Educação.

Mulher como protagonista das Escolhas de Consumo
Maluh Barciotte, é bióloga, Doutora em saúde pública e ambiental pela USP, palestrante e consultora em educação para o consumo, sustentabilidade e responsabilidade social. Idealizadora do programa “Viva Bem no Mundo que Você Tem”.

ODM 4 – REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA

"A Humanização no Serviço Público e seus reflexos sobre a Mortalidade Infantil e Neonatal"

Dra. Miriam Ribeiro de Faria Silveira,Médica Pediatra, Neonatologista, Psicanalista de Adultos e Crianças; Diretora Clínica da Maternidade Escola de Vila Nova Cachoeirinha; Presidente do Depto. de Saúde Mental da Sociedade de Pediatria de São Paulo; Presidente da Comissão de Revisão de Óbitos da Maternidade Escola de Vila Nova Cachoeirnha.


ODM 5 – MELHORAR A SAÚDE MATERNA

A influência do meio e a construção da estrutura cerebral da criança
Joao Augusto Figueiró é médico clinico e psicoterapeuta do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, membro fundador e da diretoria do Instituto Zero a Seis – Primeira Infância e Cultura de Paz, presidente do Conselho Executivo do Fórum Nacional pela Primeira Infância e membro da Rede Criança e Paz.

ODM 6 – COMBATER HIV/AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS

Vivendo e convivendo com a AIDS
Euci Selma S. Munhóz é artista plástica formada pela Escola Belas Artes de São Paulo, mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, arte/educadora e coordenadora do projeto "Meu Corpo Meu Bem" de educação em sexualidade, da Casa de Assistência Filadélfia, com experiência em prevenção de DST/AIDS com pessoas que vivem ou convivem com HIV/AIDS (crianças, adolescentes e adultos) desde 2004.

ODM 7 – GARANTIR A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Qual a relação da biodiversidade e a extrema pobreza e fome?
Rita Mendonça, Bióloga pela USP, São Paulo e socióloga pela École de Hautes Études em Sciences Sociales de Paris. É consultora e diretora presidente do Instituto Romã. Desenvolve programas transdisciplinares de aprendizagem sobre Biodiversidade, Sustentabilidade, Ética, Meio Ambiente e Qualidade de vida para instituições públicas, privadas e do terceiro setor.

Saneamento e a Qualidade de Vida
Dante Ragazzi Pauli, Presidente da ABES/SP - Associação de Engenharia Sanitária e Ambiental e colaborador da Cia. de Saneamento Básico do Estado de SP – SABESP desde 1985, Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Mackenzie (1984), com Especialização em Engenharia em Saúde Pública pela USP e Mestrado em Saneamento Ambiental pela Universidade Mackenzie.

ODM 8 – ESTABELECER PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO

O Exercício da Cidadania e o Movimento Nossa São Paulo
Cícero Liberal Yagi - economista e pós-graduado pela FEA-USP. Participou de consultoria em pesquisas e projetos na FIPE, FIA e FIPECAFI. Faz parte da OEB - Ordem dos Economistas do Brasil, do CBCS - Conselho Brasileiro de Construção Sustentável e do Movimento Nossa São Paulo. Desenvolve trabalhos na área de metodologia de indicadores e de sustentabilidade.

O Exercício Consciente da Solidariedade e Cidadania
Silvia Maria Louzã Naccache é formada em Ciências Biomédicas pela Universidade de SP (EPM-UNIFESP), coordenadora do Centro de Voluntariado de São Paulo e atua há quase dez anos na área de responsabilidade social, terceiro setor e voluntariado.


*as perguntas serão abertas ao término das apresentações e direcionadas somente à Maria Paula da Fundação SEADE. Os dados dos participantes serão disponibilizados para que as perguntas sejam direcionadas diretamente a eles.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Ata Reunião ODM 30/07/10




No dia 30 de julho de 2010, o Movimento Nós Podemos São Paulo, se reuniu para referendar os seguintes documento:

1. Carta de Adesão do Movimento ODM do Estado/ Nós Podemos São Paulo;
2. Carta de Princípios do Movimento ODM do Estado/ Nós Podemos São Paulo;
3. Diretrizes para o Planejamento Estratégico do Movimento ODM do Estado/ Nós Podemos São Paulo.

A reunião contou com a presença especial dos representantes da Secretaria da Presidência da República, Sr. Cândido Hilário (Bigode), e o Sr. Olavo Perondi. Nesta ocasião as duas cartas foram aprovadas e serão disponibilizadas tão logo para que os participantes façam a última revisão nos documentos. As diretrizes para o planejamento estratégico, que foram concebidas em reuniões e oficinas realizadas pelos integrantes do movimento desde o seu lançamento em setembro de 2009, serão objeto de trabalho e revisão para a sua aprovação em data ainda a ser definida.

sábado, 7 de agosto de 2010

INFORMA CONVITE e PROGRAMAÇÃO (20/08/10) - Humanizando os Indicadores de São Paulo


PROGRAMAÇÃO
DINÂMICA:
A cada quadro estatístico ODM do Estado de São Paulo convidados especiais farão uma breve exposição das suas histórias, experiências e contribuições para a melhoria dos indicadores e metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (conforme programa abaixo)

ESTATÍSITCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO (SEADE)

Maria Paula Ferreira é chefe da Divisão de Metodologia e Métodos Quantitativos da Fundação SEADE. Responsável pela criação de indicadores socioeconômicos e técnicas estatísticas e coordenadora técnica do Relatório Estadual de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, realizado pela Fundação Seade em conjunto com a Secretaria de Economia e Planejamento e IPEA. Bacharel em estatística, mestre em epidemiologia pela Faculdade de Saúde Publica da Universidade de São Paulo e doutora em medicina preventiva pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

ODM 1 – ERRADICAR A EXTREMA POBREZA E A FOME

Economia Solidária e a Segurança Alimentar e Nutricional
Ana Flavia Borges Badue, mestre em saúde pública pela USP, representa o segmento dos consumidores na Comissão de Produção Orgânica do Estado de São Paulo e atua como educadora ambiental com foco em consumo responsável e na coordenação de projetos do Instituto Kairós.

ODM 2 – UNIVERSALIZAR A EDUCAÇÃO PRIMÁRIA

Garantir Educação de Qualidade
Maria Lucia Meirelles Reis, fundadora e diretora do Centro de Voluntariado de São Paulo e do Faça Parte – Instituto Brasil Voluntário e fundadora e membro do Conselho de Governança do movimento Todos pela Educação.

ODM 3 – PROMOVER A IGUALDADE ENTRE OS SEXOS E A AUTONOMIA DAS MULHERES

A mulher saiu do anonimato e da invisibilidade?
Dra. Maria Laia, responsável pela Coordenadoria dos Assuntos da População Negra – CONE, da Secretaria Municipal de Educação.

Mulher como protagonista das Escolhas de Consumo
Maluh Barciotte, é bióloga, Doutora em saúde pública e ambiental pela USP, palestrante e consultora em educação para o consumo, sustentabilidade e responsabilidade social. Idealizadora do programa “Viva Bem no Mundo que Você Tem”.

ODM 4 – REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA

A mortalidade infantil como marcador de pobreza de um país
Hospital Maternidade Vila Nova Cachoeirinha – a confirmar

ODM 5 – MELHORAR A SAÚDE MATERNA

A influência do meio e a construção da estrutura cerebral da criança
Joao Augusto Figueiró é médico clinico e psicoterapeuta do Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, membro fundador e da diretoria do Instituto Zero a Seis – Primeira Infância e Cultura de Paz, presidente do Conselho Executivo do Fórum Nacional pela Primeira Infância e membro da Rede Criança e Paz.

ODM 6 – COMBATER HIV/AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS

Vivendo e convivendo com a AIDS
Euci Selma S. Munhóz é artista plástica formada pela Escola Belas Artes de São Paulo, mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, arte/educadora e coordenadora do projeto "Meu Corpo Meu Bem" de educação em sexualidade, da Casa de Assistência Filadélfia, com experiência em prevenção de DST/AIDS com pessoas que vivem ou convivem com HIV/AIDS (crianças, adolescentes e adultos) desde 2004.

ODM 7 – GARANTIR A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

Qual a relação da biodiversidade e a extrema pobreza e fome?
Rita Mendonça, Bióloga pela USP, São Paulo e socióloga pela École de Hautes Études em Sciences Sociales de Paris. É consultora e diretora presidente do Instituto Romã. Desenvolve programas transdisciplinares de aprendizagem sobre Biodiversidade, Sustentabilidade, Ética, Meio Ambiente e Qualidade de vida para instituições públicas, privadas e do terceiro setor.

Saneamento e a Qualidade de Vida
Dante Ragazzi Pauli, Presidente da ABES/SP - Associação de Engenharia Sanitária e Ambiental e colaborador da Cia. de Saneamento Básico do Estado de SP – SABESP desde 1985, Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Mackenzie (1984), com Especialização em Engenharia em Saúde Pública pela USP e Mestrado em Saneamento Ambiental pela Universidade Mackenzie.

ODM 8 – ESTABELECER PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO

O Exercício da Cidadania e o Movimento Nossa São Paulo
Cícero Liberal Yagi - economista e pós-graduado pela FEA-USP. Participou de consultoria em pesquisas e projetos na FIPE, FIA e FIPECAFI. Faz parte da OEB - Ordem dos Economistas do Brasil, do CBCS - Conselho Brasileiro de Construção Sustentável e do Movimento Nossa São Paulo. Desenvolve trabalhos na área de metodologia de indicadores e de sustentabilidade.

O Exercício Consciente da Solidariedade e Cidadania
Silvia Maria Louzã Naccache é formada em Ciências Biomédicas pela Universidade de SP (EPM-UNIFESP), coordenadora do Centro de Voluntariado de São Paulo e atua há quase dez anos na área de responsabilidade social, terceiro setor e voluntariado.

*as perguntas serão abertas ao término das apresentações e direcionadas somente à Maria Paula da Fundação SEADE. Os dados dos participantes serão disponibilizados para que as perguntas sejam direcionadas diretamente a eles.


segunda-feira, 19 de julho de 2010

PUC SP recebe evento sobre Objetivos de Desenvolvimento do Milênio



Em 30 de junho, o Núcleo de Estudos do Futuro da PUC SP promoveu um evento para comentar os avanços obtidos em relação aos objetivos do Milênio.

A coordenadora do Movimento “Nós Podemos São Paulo”, Regina Maria Meireles da Fonseca e o diretor do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, Prof Jorge Abrahão de Castro, proferiram palestra sobre “Avanços nos Objetivos do Milênio no Brasil”.

Os convidados especiais Alby Duarte Rocha (estatístico e membro do movimento “Nós podemos Paraná”), Rosa Alegria (vice-presidente do Núcleo de Estudos dão Futuro da PUC SP) e o Prof Arnoldo Hoyos Guevara (diretor administrativo do Núcleo de Estudos do Futuro da PUC SP) acrescentaram suas observações e análise de dados.

Os oito objetivos do milênio foram definidos por líderes de 191 países durante a reunião da Cúpula do Milênio, realizada em Nova York, em 2000, para serem atingidos até 2015, como forma de atenuar as desigualdades existentes e promover um mundo mais justo.

No evento, foram apresentadas estatísticas sobre os progressos registrados em várias regiões do planeta. Especialistas e pesquisadores, além da ONG “Nós Podemos”, do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade fizeram comentários sobre esses dados.

Foram igualmente mencionados os avanços conquistados no Brasil e as iniciativas federais, estaduais e municipais para incentivar a promoção e a garantia dos direitos básicos da população. Uma dessas iniciativas foi tomada pelo Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade que criou, em 2004, a campanha “Nós Podemos – 8 jeitos de mudar o mundo” com a implantação de núcleos estaduais e municipais para apoiar e acompanhar localmente as iniciativas em prol dos objetivos traçados.

Foram distribuídos aos participantes documentos com dados sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (Relatório Nacional de Acompanhamento; Prêmio Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - Brasil e Síntese Estadual São Paulo Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) e indicados endereços eletrônicos relativos ao tema.

sábado, 19 de junho de 2010

Campanhas em prol da luta contra a AIDS




A UGT preocupada com o grande crescimento que o vírus HIV vem tomando nos últimos anos, passou a integrar o Fórum Nacional de Combate à AIDS e hoje participa de "eventos" :que transversalizam este tema.

Na Feira Cultural GLTB 2010 (03/06) e na Parada Gay 2010, as Campanhas que divulgamos nestes dias foram :

1) Forum Nacional de Combate a AIDS;

2) Campanha que a ONU lançou em 2000 "Os 8 Objetivos do Milênio - ODM's" neste evento o objetivo nº 6;

3) Campanha que a ONU lançou em 2009 "Igual a Voce " contra o preconceito no Brasil; entre outros.


Cris Palmieri
SNMADS/UGT
Coletivo de Gênero/UGT

sexta-feira, 18 de junho de 2010

INFORMA: Inscrições encerradas - Reunião 21/06


Empresa Rede Energia incentiva os ODM.




A Rede Energia é um dos maiores grupos empresariais privados do setor elétrico brasileiro, atuando na distribuição, comercialização e geração de energia.

É a responsável pelo abastecimento de cerca de 34% de todo o território nacional, o que significa atender 16 milhões de pessoas, em 578 municípios, de sete diferentes estados brasileiros: São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pará.

Política de Sustentabilidade

Com o objetivo de consolidar a cultura de responsabilidade socioambiental, maximizar as ações positivas e integrar a temática à visão do negócio, a Rede Energia assumiu compromissos que norteiam e promovem a atuação integrada das diversas áreas de suas empresas em prol de uma gestão responsável.

Semana passada organizou uma Semana de Responsabilidade Socioambiental e contou com a participação do ´Núcleo Nós Podemos São Paulo' na divulgação de atividade, convidando a Rede Energia a integrar ou inicentivar Núcleos ODM em todos os municípios que presta serviço.

A empresa já atua na área socioambiental em várias frentes e relaciona as ações com cada um dos 8 ODM, conforme pode ser visto no folheto e no Relatório de Responsabilidade Socioambiental da empresa às paginas 117e118. (http://www.gruporede.com.br/)

Foi estabelecido um vínculo muito promissor entre a REDE Energia e o Núcleo Nós Podemos SP e todos ficaram muito satisfeitos pela cooperação.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Reunião ODM: Atenção....VAGAS LIMITADAS

Não perca tempo...faltam poucas vagas!


Conforme Convite Postado dia 15/06, esta aberta a inscrição para mais uma reunião importante...


Pauta: Compartilhar e realinhar os trabalhos em andamento em cada um dos FOCOS do Movimento ODM - Nós Podemos São Paulo.


* Faça a diferença, Participe!


Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade.

ODM - Nós Podemos São Paulo

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Abraço à Represa Guarapiranga (31/05)



O Evento teve passeio ciclístico e atividades culturais e ambientais dedicados à proteção da represa.
O Abraço Guarapiranga, que este ano chega à sua quinta edição, aconteceu neste domingo, 30.
O evento é promovido pela Rede de Olho nos Mananciais, formada por ONGs ambientalistas, movimentos sociais, universidades, instituições religiosas e diversas organizações da sociedade civil, tendo como objetivo a preservação das fontes de água de São Paulo. A Secretaria do Meio Ambiente apóia a ação e esteve presente com um ponto de informações e atividades de educação ambiental no Parque da Barragem.

Diversidade, clima e vida!

O tema do Abraço de 2010 é uma homenagem ao ano Internacional da Biodiversidade que ao mesmo tempo, relaciona a questão local à preocupação global com as mudanças climáticas, e ainda, reafirma que em síntese a água, particularmente a Guarapiranga, é vida!

A proposta do Abraço foi chamar a atenção para a importância da preservação dos mananciais para o abastecimento público da Região Metropolitana de São Paulo por meio de uma manifestação de carinho com a represa.

O evento visa também salientar as dificuldades ocasionadas pelo crescimento desordenado das últimas décadas, as ocupações irregulares, os desmatamentos e o despejo de esgotos e resíduos que comprometem a capacidade de produção, armazenamento, tratamento e distribuição de água.

O Abraço à Guarapiranga 2010 aconteceu em três locais:

- Parque da Barragem na Avenida Robert Kennedy
- Jardim Ângela (Região de M'Boi Mirim)
- Solo Sagrado (Região de Parelheiros)


sábado, 29 de maio de 2010

Ações ODM movimentam Presidente Prudente


Sábado passado (22/05) reuniu-se em Presidente Prudente o Núcleo de Trabalho da Associação da Assembléia de Deus do Bom Retiro, jovens do Rotaract, Agenda Jovem, Interact, D.A. Serviço Social (Fac. Integ. Antônio Eufrásio de Toledo), Coordenadoria da Juventude da Prefeitura Municipal de Presidente Prudente, Juventude Católica de Presidente Prudente.
A Prefeitura orientará suas ações para a juventude, pelos O.D.M., e as instituições criaram núcleos de trabalho que trabalharão em seus projetos específicos e articulados a um mesmo conjunto de ações.
Ao poder público ficou a responsabilidade de fornecer dados que se transformarão em informações para a construção dos projetos. Em síntese fora criado algo como ODM jovem.

Wilson

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Betinho de Cidadania



Convidamos sua entidade a participar e organizamos uma oficina para ajudá-los a preparar sua inscrição:
OFICINA: Como descrever seu Projeto
A Equipe de Eventos (CCI.1) da Câmara Municipal de São Paulo, em parceria com a Ação da Cidadania, organizará uma oficina para ajudar sua entidade a descrever o projeto para ser inscrito no Prêmio Betinho de Cidadania.
Público: entidades sem fins lucrativos da sociedade civil interessadas em inscrever projetos (com, no mínimo, 12 meses de execução) no Prêmio Betinho de Cidadania.
Conteúdo da oficina: histórico do Prêmio Betinho, depoimentos dos últimos vencedores e detalhamento de como preparar o projeto e a inscrição.
Data: 28/5/2010, sexta-feira.
Horário: 14h30
Local: Câmara Municipal de São Paulo
Sala Sérgio Vieira de Mello
Viaduto Jacareí, 100 − 1º subsolo
Inscrições para a oficina:
prêmios@camara.sp.gov.br ou pelos fones 3396-4239 ou 3396-4667, com Rebeca, Airyn ou Lívia.
Para visualizar o regulamento do Prêmio Betinho 2010, clique na imagem
ou acesse o site da Câmara Municipal de São Paulo -
www.camara.sp.gov.br

sexta-feira, 14 de maio de 2010

ACONTECEU - SEMINÁRIO ODM EM SÃO PAULO - 11/05/10


SEMINÁRIO ODM EM SÃO PAULO

Apresentação do 4º Relatório de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, no lançamento da 4ª Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental


Por Mirna Grzich, com colaboração de Solange Sólon Borges

Dia 11 de maio aconteceu a apresentação do 4º Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e o lançamento da 4ª edição da Mostra FIESP/CIESP de Responsabilidade Socioambiental.

Esse Encontro Estadual representa um marco na história do Movimento Nacional pelos ODM, pois constituiu-se em um espaço onde lideranças empresariais, organizações da sociedade civil e do poder público do estado de São Paulo se reuniram para, em cooperação, conhecer e debater os avanços do País no alcance da metas estabelecidas pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, exatamente no ano de seu 10º aniversário de lançamento pela ONU.

Rodrigo Rocha Loures, Secretário Executivo do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós Podemos e Presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná - FIEP, que tem sido a figura pública que assumiu a liderança dessa agenda no Brasil, celebrou o trabalho intenso que vem sendo feito no País, para alcançar os Objetivos do Milênio: “O Brasil foi escolhido para fazer a apresentação do seu case por ocasião da próxima Assembléia Geral das Nações, em setembro, pautada no acompanhamento dos Objetivos do Milênio”.

O case brasileiro é o movimento chamado Nós Podemos, disseminado em todos os Estados Brasileiros, que contagia empresas, sociedade civil, ONGs e principalmente agora a rede de municípios regionais por uma ação efetiva e sistêmica para erradicação das mazelas do subdesenvolvimento.
Em 2009, foram mobilizadas 9.000 lideranças empresariais, entidades da sociedade civil e cidadãos nos 27 estados brasileiros nos eventos de Prêmio ODM Brasil. Esse resultado deveu-se às ações de municipalização e desenvolvimento local que o Movimento integrou, alcançando patamares jamais imaginados desde que os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio passaram a ser disseminados no Brasil.

Representando o governo Federal, Wagner Caetano, da Secretaria Nacional de Estudos e Pesquisas Político-Institucionais da Presidência da República, colocou que "os governos, sozinhos, não conseguirão vencer as dificuldades da realidade brasileira e cumprir os Objetivos do Milênio, estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) a tempo, ou seja, até 2015. É preciso que a sociedade participe ativamente”, conclamou.

Jorge Chediek, representante no Brasil do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) declarou que “os países-membros da ONU assumiram um compromisso público para a construção de um mundo mais pacífico para o século 21. Trata-se de um compromisso moral".

Para Chediek, os objetivos só serão alcançados com a participação do setor privado, apontando os atuais gargalos brasileiros: maior atenção à saúde da gestante, aliada ao combate à mortalidade materna e a sustentabilidade ambiental.

Participaram do evento ainda Eduardo Jorge, Secretário do Meio Ambiente do Município da Cidade de São Paulo, Eliane Belfort , Diretora do Comitê de Responsabilidade Social-Cores da FIESP, e Walter Vicioni, Superintendente Operacional do SESI São Paulo, o Ricardo Patah, presidente da UGT – União Geral dos Trabalhadores.

No lançamento da Mostra, Eliane Belfort enfatizou a importância de abrigar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio a fim de ajudar a disseminá-los em todas as instituições que participam do evento.
Segundo ela, desta forma, os agentes que atuam em prol dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio no Estado de São Paulo poderão de forma substantiva em conjunto com a 4ª edição da Mostra de Responsabilidade Socioambiental da Fiesp/ CIESP, contribuir na divulgação de suas atividades e do trabalho que vem sendo efetuado neste sentido no Estado de São Paulo, sensibilizando municípios, empresas, organizações da sociedade civil e cidadãos em prol de um desenvolvimento sustentável no Estado e no País.

A apresentação detalhada ao público do 4º Relatório Nacional ficou a cargo de Jorge Abrahão, diretor de Estudos Sociais do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

“O relatório incorpora as últimas sugestões metodológicas feitas pela ONU, como a nova linha de pobreza e o dólar PPC (mede quanto determinada moeda pode comprar em termos internacionais, normalmente em dólar)”, avaliou Abrahão.

Foi ressaltada a importância das políticas sociais e econômicas para se atingir os ODM, além do atual período de estabilidade monetária:

# A continuidade e a articulação das políticas sociais ajudaram as famílias pobres a terem renda e suprirem outras necessidades além da renda, por meio de serviços públicos.

# O mercado de trabalho e as políticas sociais garantiram a melhor distribuição de renda.

# Os programas de transferência de renda, como o Bolsa Família, Previdência Rural, BPC têm papel importante no combate à fome e à pobreza.

# A política do salário mínimo têm sido um dos mais importantes fatores de promoção do bem-estar nos últimos anos.

Prêmios sociais têm inscrição até sábado, 15/5


quarta-feira, 5 de maio de 2010

CAPACITAÇÃO DE AGENTE PROMOTOR DO DESENVOLVIMENTO LOCAL

PROGRAMA PROPOSTO PARA O EVENTO
Data: 22 de maio de 2010.
Horário: das 8h30 às 12h.
Local: Universidade Cruzeiro do Sul - Auditório D
Rua : Av. Dr. Ussiel Cirilo, 93-São Miguel Paulista-SP
Tema: CAPACITAÇÃO DE AGENTE PROMOTOR DO DESENVOLVIMENTO LOCAL
Evento:
09h: 00min Recepção

09h30min Coffe Brak

10h00min abertura Izidro J. Filho

10h10min Universidade Cruzeiro do Sul
O Conhecimento e a ferramenta para o combate da mortalidade empresarial
Carlos R. Tiveron
Assessor da Pró-reitoria

10h30min São Bernardo do Campo um grande sucesso do Banco do Povo
DR. Valter Cordone

10h40min Banco do Povo
ANTONIO SEBASTIÃO TEIXEIRA MENDONÇA
Diretor-Executivo do Banco do Povo Paulista

11h00min Alvará Eletrônico
Rodrigo Garcias
Ex Secretário de Desburocratização

11h20min Lei do MEI - (Micro Empreendedor Individual)
Matanael Miranda
Secretário municipal do MEI - (Micro Empreendedor Individual)

11h40min Empreendedorismos: Um Novo momento Histórico
Guilherme Affi Domingos
Ex Secretário do Trabalho

12h00min Enceramento Distribuição de Certificados

terça-feira, 4 de maio de 2010

Fiesp/Ciesp lança 4ª edição da Mostra de Responsabilidade Socioambiental e objetivos de Desenvolvimento do Milênio



A intenção é identificar quem são os agentes que trabalham com os objetivos e como eles podem ser integrados à tradicional Mostra da Federação


A Fiesp irá sediar duas expressivas atividades na próxima semana: o lançamento da 4ª edição da Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental e a apresentação do 4º Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, o PNUD das Nações Unidas. A primeira parte do evento, agendado para o dia 11 de maio, contará com a participação de Paulo Skaf (presidente da Fiesp/Ciesp) e o secretário Wagner Caetano (Secretaria Nacional de Estudos e Pesquisas Político-Institucionais da Presidência da República), representando o governo federal. Também integram o evento Rodrigo Loures (Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade) e Jorge Abrahão (diretor de Estudos Sociais do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada-IPEA), que apresentará o Relatório Nacional da entidade. O lançamento da Mostra estará a cargo de Eliane Belfort (diretora do Comitê de Responsabilidade Social-Cores da Fiesp). Ela enfatiza a maturidade do evento: “aproveitamos o sucesso da Mostra anterior para, nesta 4ª edição, abrigarmos os objetivos de desenvolvimento do milênio a fim de disseminá-los entre as inúmeras organizações que se unem à Fiesp neste grande encontro”. Na programação da tarde, serão apresentados os indicadores dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio do Estado de São Paulo (Orbis), sob a responsabilidade de especialistas atuantes em cada um deles. São oito os objetivos estabelecidos: acabar com a fome e a miséria; educação básica de qualidade para todos; igualdade entre sexos e valorização da mulher; reduzir a mortalidade infantil; melhorar a saúde das gestantes; combater a AIDS, a malária e outras doenças; qualidade de vida e respeito ao Meio Ambiente; e Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento.

A intenção é identificar quem são e como atuam os agentes em prol dos objetivos no Estado de São Paulo e de que maneira podem ser apresentados durante a 4ª edição da Mostra de Responsabilidade Socioambiental da Fiesp/ Ciesp.


SERVIÇO Lançamento da 4ª edição da Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental e apresentação do 4º Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Local: Teatro da Fiesp, Avenida Paulista, 1313. Data: dia 11 de maio, das 9h às 17h


Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP)

Assessoria de Jornalismo Institucional Jornalista

Responsável: Ricardo Viveiros (MTb.18.141) rviveiros@fiesp.org.br --- Tel.: (11) 3549.4470

Jornalista: Rose Matuck (MTb. 16.371) – rmatuck@fiesp.org.br – (11) 3549.4602

Setorista: Solange Sólon Borges (MTb. 18.373) – solange.borges@fiesp.org.br – (11) 3549.4590

Assistente: Everton Amaro – everton.amaro@fiesp.org.br - (11) 35494643



segunda-feira, 26 de abril de 2010

CONVITE AÇÃO DA CIDADANIA


Ato Solene Ação da Cidadania contra a Fome, a Miséria e pela Vida

18 Anos


27 abril de 2010 às 19h
Auditório Franco Montoro
Assembléia Legislativa de São Paulo
Av. Pedro Álvares Cabral, 201 -São Paulo – SP



Homenageados
:: Exmo. Sr. Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva
:: Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional
:: IBASE
:: FAO – Brasil
:: Câmara Municipal de São Paulo – Prêmio Betinho
:: Articulação Nacional da Ação da Cidadania
:: Coordenadores e Coordenadoras
:: Comitês, Fóruns Regionais e entidades sociais


Realização:
Apoio:
Frente Parlamentar pela Segurança Alimentar e Nutricional



Coordenador: deputado estadual SIMÃO PEDRO
Composta pelos deputados e deputadas: ENIO TATTO, FERNANDO CAPEZ, RAUL MARCELO, ANTONIO MENTOR, CARLINHOS ALMEIDA, RAFAEL SILVA, BRUNO COVAS,JOSÉ BITTENCOURT, ANA PERUGINI, CELSO GIGLIO, LUCIANO BATISTA, MARCOS MARTINS, AFONSO LOBATO, ROBERTO FELÍCIO, GILSON DE SOUZA, OLÍMPIO GOMES, JOSÉ ZICO PRADO

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Nova ferramenta de comunicação - NING

Olá queridos....

Temos uma grande novidade....

Mais uma ferramente de comunicação "NING"

http://odmsp2009.ning.com/

Esta ferramenta nos fornece muitas opções para comuniação das ações e discussões:
* Fotos;
* Vídeos;
* Pastas de discussões por grupo, procure a de seu interesse;
* Mural
* Mensagens
* Agendamentos
* Blog

Cadastre-se!

Vamos juntos potencializar nossas forças e aumentar nossas edes de contatos para que possamos fortalecer as ações do movimento...Por quê nós Podemos!

* Caso tenha dúvidas em relação ao manuseio da ferramenta NING, por gentileza me contate através:
dnicolini@alphaville.com.br
daninicolini@gmail.com
(11) 7742-4398

Notícias do Movimento Nossa São Paulo


DEMOCRACIA PARTICIPATIVA
Encontro dia 14 integra planejamento participativo da Zona Leste para 2022
Lideranças comunitárias, organizações sociais e moradores da Zona Leste vão se reunir mais uma vez no dia 14 de abril para planejar propostas de ação para a região. O encontro, uma iniciativa do Movimento Nossa Zona Leste II, faz parte do “Planejamento da Zona Leste 2022”, que tem como objetivo elaborar de forma participativa propostas de políticas públicas para a melhoria da qualidade de vida na região a curto, médio e longo prazos.


NOSSA SÃO PAULO NA CÂMARA
Lideranças comunitárias do M’Boi Mirim rejeitam projeto de monotrilho
O secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, esteve nesta quinta-feira (8/4) na Subprefeitura do M’Boi Mirim, onde ouviu de lideranças comunitárias e moradores muitas críticas ao projeto da Prefeitura de São Paulo, de construir um sistema de monotrilho ligando o Jardim Ângela ao centro de Santo Amaro. O sentimento predominante entre os participantes da reunião e revelado na maioria das falas é o de que o projeto, que custará mais de R$ 800 milhões aos cofres públicos, não irá resolver os problemas de transporte coletivo e de trânsito da região.
Câmara cria comissão para elaborar proposta de revisão do Plano Diretor
Em reunião fechada realizada nesta terça-feira (6/4), os vereadores de São Paulo decidiram formar uma comissão que terá como tarefa elaborar uma proposta de substitutivo ao projeto de revisão do Plano Diretor Estratégico da cidade. O grupo, formado pelos integrantes da Comissão de Política Urbana e um parlamentar de cada partido que não dispõe de representação no órgão, terá um mês para apresentar o texto.
“Lei da Transparência”: projeto prevê execução orçamentária mais detalhada e acessível
A vereadora Mara Gabrilli (PSDB) está propondo algumas alterações na chamada “Lei da Transparência” (Lei nº 13.949, de 21 de janeiro de 2005). Segundo as justificativas apresentadas pela parlamentar, as mudanças visam tornar os dados da execução orçamentária das subprefeituras da cidade de São Paulo, da Câmara Municipal e do Tribunal de Contas do Município (TCM) mais transparentes e acessíveis ao cidadão comum.
Movimento e vereadores agendam seminários sobre transporte e mobilidade
O Grupo de Trabalho (GT) Mobilidade Urbana do Movimento Nossa São Paulo e a Comissão de Transporte da Câmara Municipal irão promover quatro seminários até o final deste ano para discutir temas relacionados à mobilidade urbana na cidade. A iniciativa é resultado do diálogo que vem sendo realizado entre os integrantes do GT e os vereadores.


AGENDA CIDADÃ
2º Encontro dos Cades Regionais e Agendas 21
No próximo dia 10 integrantes das Agendas 21 locais e dos Conselhos Regionais de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz, presentes em subprefeituras de São Paulo, vão se reunir em um segundo encontro anual. O encontro será realizado, das 9h às 17h, na Câmara Municipal de São Paulo, Viaduto Jacareí, s/nº (Próximo à Estação do Metrô Anhangabaú).
Primeira plenária dos transportes públicos no Butantã
A Organização Cultural de Defesa da Cidadania (OCDC) convoca os cidadãos membros das comunidades das regiões Butantã, Pinheiros e Campo Limpo e dos Municípios de Taboão da Serra e Embu para participar de uma grande discussão sobre a mobilidade urbana nesta complicada área de São Paulo, envolvendo autoridades e técnicos do setor, nos campos relacionados ao Metrô Vila Sônia, às linhas de ônibus e microônibus, à rede de táxis, às ciclovias e outros meios de deslocamentos de pessoas.
Congresso aborda modelos de parcerias entre governo, empresas e terceiro setor
Com o objetivo de fomentar o debate qualificado sobre os modelos de parcerias entre os três setores, destacando iniciativas de sucesso e desafios a serem superados, a Sociedade Santos Mártires realiza o congresso "Modelos de Parceria entre Poder Público, Iniciativa Privada e Terceiro Setor". O evento será realizado dia 14, das 9h às 17h, no Sesc Vila Mariana, Rua Pelotas, 141.Inscrições vão até dia 12 de abril.


SAIU NA MÍDIA
"Sem acordo, Câmara adia votação do projeto Ficha Limpa" - O Globo
BRASÍLIA (Reuters) - Sem chegar a um acordo sobre o trâmite de urgência, os líderes dos partidos na Câmara dos Deputados adiaram nesta quarta-feira a votação do projeto Ficha Limpa, que impede a participação nas eleições de candidatos com problemas na Justiça.
"Grávidas têm vaga exclusiva em estacionamentos" - O Estado de S.Paulo
Shoppings, lojas, supermercados e empresas de São Paulo estão criando vagas de estacionamento preferenciais para grávidas, apesar de não haver uma lei obrigando a reserva do espaço. Atualmente, há três projetos de lei tramitando no Congresso que propõem a medida.
"OMS destaca a urbanização na comemoração do Dia Mundial da Saúde" - Agência Brasil
A Organização Mundial da Saúde (OMS) comemora nesta quarta-feira, 7, o Dia Mundial da Saúde com foco na urbanização, incentivando esforços para que as cidades se tornem ambientes mais saudáveis. A estimativa é de que nos próximos 30 anos praticamente todo o crescimento populacional do planeta ocorra em áreas urbanas.
"Sem decreto, 15 leis ficam só no papel" - O Estado de S.Paulo
Se o leitor tivesse a chance e a paciência de ler a legislação municipal, encontraria uma São Paulo mais civilizada. No papel, não há shoppings ou parques sem bicicletários, e as novas ruas são construídos com ciclofaixas. E os bares e boates têm bebedouros gratuitos para seus clientes. Na cidade real, um abismo separa as boas ideias das práticas de gestão pública: a falta de regulamentação de leis.

Oficina de Estudos do Plano Diretor de Resíduos de Guarulhos


quinta-feira, 8 de abril de 2010

Próxima Reunião FOCO 3 - 20/04/10

Meus Caros,

Dia 20/04 foi confirmada a agenda da próxima reunião do Foco 3 das 14:00 às 16:00 horas no FIESP, para que possam programar antecipadamente este compromisso.
Caso quiserem, solicitem a ata de reunião que ocorreu hoje, dia 06/06 e todos encaminhamentos, e a proposta da Carta de Princípios a ser enviada pela Ana Soraya como contribuição para o Circulo de Diálogo para que consigamos avançar na elaboração destes instrumentos, o objetivo é concluí-los e apresentá-los ao Núcleo Gestor e outros Focos e Circulos de Diálogo com interlocução de ações.

Agradecemos pelo retorno, esperamos revê-los em breve no dia 20/04, conforme combinado com os presentes nas duas últimas reuniões.
(Em breve mais informações)

Macrodrenagem Urbana e Mudanças Climáticas

Recentemete uma missão japonesa da Agencia de Cooperação-JICA, realizou um worshop em São Paulo compartilhando com técnicos e politicos do Estado e do Municipio sua experiencia em gestão da drenagem urbana e de megadesastres. A experiencia de um país com elevada tecnologia, com registro cultural consolidado de guerra, terremotos, tsunamis, diversos tufões e furações ao ano, pode dar-nos boa contribuição. O que percebemos foi a existencia de uma concepção sistemica e de Política de Estado (com continuidade), cientificamente fundamentada, multidisciplinar (com apoio do conhecimento) e intersetorialmente integrada em um planejamento de curto e longo prazo (projeções a 100 anos). E, muito destacável, com intensa informação e parcicipação comunitária. Foi sublinhado que os efeitos climáticos diversificados tendem a aumentar; chuvas em epocas diferentes, precipitações continuas e intensar por muitos dias com precipitação equivalente ao ano. Chuvas rápidas, em 15 minutos, precipitações equivalente a um mês. Assim, cidades que surgiram a beira de rios e mar, ocuparam as varzeas e morros sem planejamento de drenagem pluvial se obrigam a enormes esforços de engenharia, custos e planos de resposta a desastres. O Japão apresentou o diagnóstico e todos tipo de tecnologias e conhecimentos utilizados na prevenção, as medidas estruturais, não estruturais e a mobilização dos servidores publicos nas emergencias que constitui sua gestão de drenagem e megadesastres, assim como, as experiencias de cooperação que a JICA desenvolve com e em outros paises. Mesmo com esta experiencia, ciente das suas peculiaridades territoriais, os japobneses querem apreender mais para garantir segurança a sua comunidade.

No caso da Região Metropolitana de São Paulo – e é imprescindivel o planejamento integrado na bacia hidrográfica - o passivo devido as caracteristicas dio xcrescimento predatório, é enorme e o desafio de planejamento, coordenação e custos são incomensuráveis. Demanda a coordenação intermunicipal, para assegurar agua potável, saneamento, estrutura de drenagem, medidas de controle efetivo do uso do solo, planos de habitação, obras publicas e projetos habitacionais privados, transportes, áreas verdes, defesa civil, educação, etc. Não existe uma única resposta ou um único projeto estrutural, nem só a jusante ou a montante dos componentes das bacias. Alem disso demanda a continuidade como uma Política de Estado por sobre os governos com amplas informações e acompanhamento do plano macro e micro. O diagnósto da expansão e dos problemas da RMSP são bastante conhecido. O desafio é a formulação de um plano integrado e coerente de soluções e com projeções ao enos de 25 a 50 anos, com metas claras e de consenso para sanar o enorme passivo. Esta em curso na esfera do Estado, em sintonia, especialmente com o municipio de São Paulo, um Plano de Macrodrenagem da Bacia do Alto Tietê. Inclui aspectos estruturais e alguns não estruturais, na Varzea do Tietê a jusante, no Rio Pinheiros, nas estações elevatorias de reversão e controle da drenagem articulando com a represa Billings e conexões com a planta energetica Henri Borden, construções de pinscinões, desassoreamento e resgate dos afluentes (córrego limpo) e Parques Lineares. No nivel municipal sob coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Urbano esta em curso o Plano Diretor de Drenagem do Município de São Paulo que articule todas as medidas de intervenção urbana em uma visão coerente, inclusive com educação ambiental e Defesa Civil. Nesta linha a articulação de uma base de dados, quem sabe, a formulação de “modulos territoriais” de participação comunitária, para conhecimento, prevenção e controle do “mapa de risco” local. Já esta em andamento metodologias de aferição de dados de forma a prever com m,aior precisão as precipitações e volumes de aguas por módulos, o INPE em parceria com a JICA tem projeto nesta direção.

PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

-instrumento estratégico na qualidade e defesa das águas-

1-O saneamento é um tema com estreita relação com a questão dos mananciais na cidade,embora não se limitando a essa região. A Lei Federal 11.445/2007 estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico. Em São Paulo, a condução do processo de elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico-PMSB ficou a cargo da Secretaria Municipal de Habitação (SEHAB), ouvidas as Secretarias conexas. Por sua vez, a Lei Municipal 14.934/2009 orienta o desenvolvimento do Plano Municipal de Saneamento Básico-PMSB e autoriza o Poder Executivo a celebrar contratos e convênios de fornecimento de serviços com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo-SABESP, assim como a regulamentação e fiscalização pela Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo-ARSESP. Assim, no dia 8 de fevereiro se realizou a audiência pública o PMSB e do Convênio a ser celebrado entre o Estado de São Paulo e o Município de São Paulo, com anuência da SABESP e da ARSESP, no auditório da Secretaria de Estado da Justiça e Defesa da Cidadania e no dia 10/03/2010 foi realizada a audiência do Contrato, a ser celebrado entre o Estado de São Paulo, o Município de São Paulo e a SABESP, sendo interveniente anuente a ARSESP. Os slides podem ser apreciados em http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/habitacao/notici...

2-Embora ainda exista pendência no STF (Supremo Tribunal Federal) acerca da titularidade do poder concedente dos serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário houve um consenso de que no Município de São Paulo seria necessário disciplinar o tema, por esta razão a importância deste processo. O Convênio em questão terá vigência por 30 anos. No Capitulo I estabelece no item (i) que por “ consenso das partes que a ARSESP exerça a regulação, controle e fiscalização dos serviços”. Estabelecem também diretrizes estratégicas para a cidade que devem ser acompanhadas pelas conexões com qualidade da água, especialmente considerando-se que a cidade tem déficit de mais de 50% da água que consome. Para gerir o Convênio e o Contrato, o PMSB prevê um Comitê Gestor,com 3 membros indicados pelo Estado e 3 pelo Município. O Mandato é de 2 anos.Ali também diz que a SABESP não tem assento e voto no Comitê, mas pode participar e se manifestar sobre pautas e decisões do mesmo.


3-A Lei 14.934/2009 também cria o Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura. A cláusula XIV item “c” determina que a SABESP destine trimestralmente ao Fundo 7.5% da receita bruta obtida na capital, alem de investir no mínimo 13% em ações de saneamento básico ambiental de sua receita bruta obtida na capital. A política de água e saneamento articulada ao planejamento urbano com um conceito explicito de equilíbrio ambiental e intersetorialidade. Esta mesma Lei no art. 10 dispõe sobre a composição e a gestão do Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura compete ao Conselho Gestor integrado Por :I - Secretário Municipal de Habitação;II - Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente;III - Secretário do Governo Municipal; IV - Secretário Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras; V - Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano; VI - Secretário Municipal de Finanças; VII - Secretário Municipal de Planejamento; VIII - Secretário Municipal de Coordenação das Subprefeituras; IX - 1 (um) representante da sociedade civil que seja membro do Conselho Municipal de Habitação, indicado pelo próprio Conselho; X - 1 (um) representante da sociedade civil que seja membro do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável - CADES, indicado pelo próprio Conselho; XI - 1 (um) representante da sociedade civil que seja membro do Conselho Municipal de Política Urbana - CMPU, indicado pelo próprio Conselho. No § 1º. Determina que o Secretário Municipal de Habitação será o Presidente do Conselho Gestor, cabendo a Vice-Presidência ao Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente. No § 2º. Estabelece que os membros do Conselho Gestor previstos nos incisos IX a XI do "caput" deste artigo deverão ser indicados pelos respectivos Presidentes dos Conselhos Municipais, bem como deverão indicar um conselheiro suplente, que comparecerá às reuniões do Conselho Gestor nas ausências do titular. A participação no Conselho não será remunerada, sendo, porém, considerada de relevante interesse público. SP,30-0302010

(walter.tesch65@gmail.com )

Beba mais água

Os cardiologistas dizem que se todos que lerem esta mensagem, disseminarem para pelo menos uma das pessoas que conhecem, pode ter a certeza de que, pelo menos, poderá salvar uma vida.

Beba água com estômago vazio.

Hoje é muito popular, no Japão, beber água imediatamente ao acordar..
Além disso, a evidência científica tem demonstrado estes valores..
Abaixo divulgamos uma descrição da utilização da água para os nossos leitores.
Para doenças antigas e modernas, este tratamento com água tem sido muito bem sucedido....
Para a sociedade médica japonesa, uma cura de até 100% para as seguintes doenças:

Dores de cabeça, dores no corpo, problemas cardíacos, artrite,
taquicardia, epilepsia, excesso de gordura, bronquite, asma,
tuberculose, meningite, problemas do aparelho urinário e doenças renais, vômitos, gastrite, diarreia, diabetes, hemorroidas, todas as doenças oculares, obstipação, útero, câncer e distúrbios menstruais, doenças de ouvido, nariz e garganta..

Método de tratamento:
1. De manhã e antes de escovar os dentes, beber 2 copos de água.
2. Escovar os dentes, mas não comer ou beber nada durante 15 minutos.
3. Após 15 minutos, você pode comer e beber normalmente.
4. Depois do lanche, almoço e jantar não se deve comer ou beber nada durante 2 horas.
5. Pessoas idosas ou doentes que não podem beber 2 copos de água, no início podem começar por tomar um copo de água e aumentar gradualmente.
6. O método de tratamento cura os doentes e permite aos outros desfrutar de uma vida mais saudável.

A lista que se segue apresenta o número de dias de tratamento que requer a cura das principais doenças:

1. Pressão Alta - 30 dias
2. Gastrite - 10 dias
3. Diabetes - 30 dias
4. Obstipação - 10 dias
5. Câncer - 180 dias
6. Tuberculose - 90 dias
7. Os doentes com artrite devem continuar o tratamento por apenas 3 dias na primeira semana e, desde a segunda semana, diariamente.

Este método de tratamento não tem efeitos secundários.. No entanto, no início do tratamento terá de urinar frequentemente.
É melhor continuarmos o tratamento mesmo depois da cura, porque este procedimento funciona como uma rotina nas nossas vidas. Beber água é saudável e dá energia.
Isto faz sentido: o chinês e o japonês bebem líquido quente com as refeições, e não água fria.

Talvez tenha chegado o momento de mudar seus hábitos de água fria para água quente, enquanto se come. Nada a perder, tudo a ganhar!

Para quem gosta de beber água fria.

Beber um copo de água fria ou uma bebida fria após a refeição solidifica o alimento gorduroso que você acabou de comer. Isso retarda a digestão.
Uma vez que essa 'mistura' reage com o ácido digestivo, ela reparte-se e é absorvida mais rapidamente do que o alimento sólido para o trato gastrointestinal. Isto retarda a digestão, fazendo acumular gordura em nosso organismo e danifica o intestino.
É melhor tomar água morna, ou se tiver dificuldade, pelo menos água natural.

Nota muito grave - perigoso para o coração:

As mulheres devem saber que nem todos os sintomas de ataques cardíacos vão ser uma dor no braço esquerdo.
Esteja atento para uma intensa dor na linha da mandíbula. Você pode nunca ter primeiro uma dor no peito durante um ataque cardíaco.
Náuseas e suores intensos são sintomas muito comuns.
60% das pessoas têm ataques cardíacos enquanto dormem e não conseguem despertar. Uma dor no maxilar pode despertar de um sono profundo...
Sejamos cuidadosos e vigilantes.
Quanto mais se sabe, maior chance de sobrevivência...
Um cardiologista diz que se todos que receberem esta mensagem, a enviarem a pelo menos uma das pessoas que conhecem, pode ter a certeza de que, pelo menos, poderá salvar uma vida.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Lançada em São Paulo linha de crédito para projetos sustentáveis


Projetos sustentáveis receberão uma nova linha de crédito, lançada na segunda-feira, 15, no estado de São Paulo. A Linha Economia Verde foi apresentada durante o 1º Seminário Economia Verde, na capital do estado.

Segundo a nova linha de crédito, os projetos que apresentarem alternativas sustentáveis, como economia de energia e água, saneamento, aproveitamento de resíduos, entre outros, contarão com juros mais baixos do que os praticados no mercado, com uma taxa que chega a 6% ao ano. Os financiamentos terão prazo de até 5 anos para o pagamento, sendo corrigidos pelo IPC-FIPE, com até 1 ano de carência e financiamento de 100% do projeto.

A proposta surgiu com base na Política Estadual de Mudanças Climática, que prevê a redução de 20% da emissão de gases causadores do efeito estufa até o ano de 2020.

As pequenas e médias empresas são o público alvo do projeto. O site da Nossa Caixa Desenvolvimento - www.nossacaixadesenvolvimento.com.br – apresenta todas as informações aos interessados. Quem preferir, pode entrar em contato com uma das entidades parceira da Agência de Fomento Paulista.

PROJETOS DE CIDADANIA RECEBEM O "PRÊMIO CONSTRUINDO A NAÇÃO"

Concurso mobilizou 266 instituições de ensino de São Paulo
Os melhores projetos de cidadania realizados, em 2009, por estudantes e professores de 266 escolas do ensino médio e fundamental e do EJA (Educação de Jovens e Adultos), serão reconhecidos no dia 08 de março com a conquista do "Prêmio Construindo a Nação", promovido pelo Instituto da Cidadania Brasil. Em São Paulo, a cerimônia de premiação será realizada na sala São Paulo - Estação Júlio Prestes, a partir das 15h.

Durante o evento, serão divulgados os 10 melhores projetos de escolas do Estado de São Paulo que contribuíram para a melhoria de vida de centenas de comunidades. Na ocasião, o Instituto lança a 10ª edição do Prêmio, em parceria com a Fundação Volkswagen, CNI - Confederação Nacional da Indústria e SESI - Serviço Social da Indústria, entre outros apoiadores.

A premiação abrange 23 estados brasileiros, tendo mobilizado cerca de 255.910 mil estudantes em torno das práticas sociais. Os Estados que participam do "Prêmio Construindo a Nação", são: Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Rondonia, Roraima, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

As ações realizadas no âmbito do Prêmio são verdadeiros mutirões de cidadania, que criam laços de solidariedade com a comunidade, resgatam a importância do papel das escolas e ajudam a formar cidadãos conscientes e participativos.

"Além de estimular a prática da cidadania, o Prêmio Construindo a Nação contribui para o maior envolvimento e participação dos jovens nas escolas e nas suas comunidades", destaca Paulo Saab, presidente do Instituto da Cidadania Brasil.

http://www.pautasocial.com.br/pauta.asp?idPauta=29740

http://www.institutocidadania.org.br/HTML/constru_nacao.html

A 5 anos dos ODM, Brasil atinge duas metas



País reduziu pobreza e fome e controlou doenças, como prevem os Objetivos do Milênio; esgoto e óbito materno são desafios até 2015

Conheça o projeto
Saiba mais sobre o projeto Relatório sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio — Brasil.

Leia também
Site aponta avanço desigual nos ODM
ONU e Google criam site para avaliar ODM

Faltando menos de cinco anos para terminar o prazo dado pelas Nações Unidas para que sejam atingidos os ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio), o Brasil alcançou o integralmente o primeiro, relacionado ao combate à pobreza e à fome, e o sexto, que prevê deter a propagação de doenças como Aids e malária. Contudo, ainda são necessários esforços para cumprir os demais, especialmente em saneamento, mortalidade materna e alguns indicadores de desigualdade entre os sexos. É o que mostra um estudo divulgado em Brasília nesta quarta-feira, feito pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e coordenado pela Casa Civil, com apoio das Nações Unidas.
“O Brasil atingiu excelentes resultados e já aparece como um líder em muitas áreas. O país se destaca não apenas pelo compromisso em atingir os ODM, mas também pelo seu empenho em apoiar outros países nesse esforço”, destaca na introdução a coordenadora-residente interina da ONU no Brasil, Marie Pierre Poirier. “No entanto, os avanços são desiguais. O gênero, a raça, a etnia e o local de nascimento de uma criança brasileira ainda determinam, em grande parte, suas oportunidades futuras. Essas desigualdades têm repercussões diretas também na saúde da mulher e na razão da mortalidade materna”, ressalva. “Não há dúvidas, então, de que o maior desafio do país nos próximos anos será transformar os ODM em uma realidade efetiva para todos e todas.”
Um dos destaques da quarta edição do Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio é que, na luta contra a pobreza, o país cumpriu antecipadamente não só a meta traçada pela ONU (chegar a 2015 com metade da proporção de pessoas muito pobres que havia em 1990), mas também a meta mais rigorosa estipulada pelo governo federal (redução de 75%).
Em 1990, 25,6% dos brasileiros tinham renda domiciliar per capita inferior à linha de pobreza estabelecida pelo Banco Mundial (US$ 1,25 ao dia, corrigido pela paridade do poder de compra, método que desconta a variação de custo de vida entre países). Em 2008 esse percentual caiu para 4,8%. "A meta internacional para 2015 foi superada em 2002 e a meta nacional foi superada em 2008. Se o ritmo da redução se mantiver nos próximos anos, a pobreza extrema será erradicada do Brasil por volta de 2013-2014", afirma o relatório.
O Brasil também cumpriu a meta da ONU de diminuir em 50% a parcela da população que passa fome. Em 1996, havia 4,2% de crianças brasileiras de zero a quatro anos com peso abaixo do esperado para a idade (indicador usado para mensurar desnutrição infantil). Dez anos depois, o percentual tinha caído a menos da metade: 1,8%. Agora, o desafio é alcançar o objetivo que o país se autoimpôs: erradicar o problema até 2015.
Saúde
Houve avanços na meta que determina que a mortalidade de crianças menores de cinco anos de idade deve cair em dois terços (66,7%), entre 1990 e 2015. Em 2008, a taxa de mortalidade na infância foi de 22,8 óbitos por mil nascidos vivos, e, para alcançar o ODM, o Brasil precisaria reduzi-la para 17,9. "Estima-se que, se persistir a tendência de redução atual, o Brasil atingirá a meta antes do prazo, em 2013", indica o relatório.
A queda tem sido expressiva em todas as regiões — sobretudo no Nordeste, em que o problema ainda é mais grave. De 1990 a 2008, o recuo foi de 62% nesta região, seguida pelo Sul (57%), Sudeste (55%) e Norte/Centro-Oeste (53%).
O país também deve cumprir, antes do prazo, o compromisso de diminuir em dois terços a mortalidade infantil (que se refere a crianças de até 1 ano). De 1990 a 2008, foi registrada redução de 60% nos óbitos infantis, que chegaram a 19,0 por mil nascidos vivos no ano retrasado. O relatório estima que a meta de 15,7 deve ser alcançada no ano que vem.
Os números demonstram que houve progressos também no combate à mortalidade materna, embora ainda sejam necessários esforços adicionais. O quinto Objetivo do Milênio estabelece que em 2015 a taxa de mortalidade das mães até 42 dias após o fim da gravidez deve ser 75% menor do que era em 1990. Até 2007 (últimos dados disponíveis), o recuo no Brasil havia sido de 46% — de 140 para 75 óbitos por 100 mil nascidos vivos. Para cumprir a meta, o país precisa baixar o número para pelo menos 35 nos próximos cinco anos. O relatório não aponta se, mantido o ritmo recente, essa cifra será ou não alcançada.
Na área da saúde, outra conquista importante foi a estabilização da epidemia de Aids, uma das metas do sexto Objetivo do Milênio. Segundo dados do relatório, entre 2002 a 2009 foram identificados, em média, 35 mil casos de Aids por ano. "As taxas de incidência foram crescentes até 2000 e estão estabilizadas desde então, embora em patamares elevados, comparados a padrões internacionais". Algumas medidas adotadas conseguiram ampliar a sobrevida dos portadores do vírus HIV, como a disponibilização, na rede pública, da terapia antirretroviral.
O Brasil também conseguiu frear a propagação da tuberculose (o número de casos por 100 mil habitantes passou de 35,5, em 2000, para 31,9, em 2008) e da malária (a incidência caiu de pouco mais de 30 casos por mil habitantes na Amazônia brasileira, em 1990, para 22,8 em 2006 e 12,9 em 2008). Mais dificuldade tem sido encontrada no alcance de uma meta que o país se autoimpôs: a erradicação da hanseníase em 2010. Em 2008, foram registrados 39.047 novos casos (20,6 por 100 mil habitantes).
Educação e igualdade de gênero
No segundo Objetivo do Milênio (universalizar a educação básica), o Brasil avançou bastante até meados desta década, mas posteriormente o ritmo de melhoria diminuiu. A proporção de crianças de 7 a 14 anos matriculadas no ensino fundamental passou de 81,4%, em 1992, para 94,4%, em 2005. De lá até 2008, o número subiu para 94,9%.
De qualquer modo, o relatório observa que “a tendência de universalização do acesso à educação obrigatória tem avançado no Brasil”. O principal desafio agora, avalia o texto, é garantir que todos que entrem na primeira série concluam o ensino fundamental. A parcela de pessoas de 18 anos que concluíram esse nível passou de 34%, em 1992, para 75,2%, em 2008. “Apesar de ainda estar aquém do desejável, a taxa de conclusão do ensino fundamental teve grande aumento”, afirma o estudo.
O desafio educacional em outra área — a de igualdade entre os sexos — também é diferente no Brasil. O cerne do terceiro Objetivo do Milênio é que seja semelhante a proporção de homens e mulheres matriculados nos três níveis de ensino (fundamental, médio e superior). A ideia da ONU, ao propor esse tópico, era de promover a igualdade de gênero e a autonomia das mulheres.
O relatório nota, porém, que a proporção semelhante de meninos e meninas na escola "não se configura, na realidade brasileira, como aspecto central para o alcance do objetivo de promoção da autonomia das mulheres, uma vez que as meninas apresentam, em geral, indicadores mais positivos do que os meninos no campo educacional".
O problema, ressalta o relatório, é que essa grande participação feminina nos bancos escolares não se traduz em melhores salários no mercado de trabalho, nem em uma maior atuação nos cargos de tomada de decisão.
Meio ambiente
O país deu passos importantes nas áreas ligadas ao sétimo ODM (garantir a sustentabilidade ambiental), apesar de dados sobre desmatamento na Amazônia indicarem que houve um pequeno aumento em relação a 2007. O desflorestamento contribui também para a alta das emissões de dióxido de carbono na atmosfera, problema ampliado pelo crescimento da população e da economia brasileira.
O consumo do gás clorofluorcarbono (CFC) caiu de 10 mil toneladas PDO (Potencial de Destruição da Camada de Ozônio), em 1995, para cerca de 290 toneladas, em 2008. Ao mesmo tempo, o país precisou recorrer aos HCFCs (hidroclorofluorcarbonos) para suprir a demanda, e agora tem que conter o uso desta substância nociva.
Em relação à meta de reduzir pela metade, até 2015, a proporção da população sem acesso permanente e sustentável a água potável e esgotamento sanitário, uma parte dela foi cumprida, conforme indica o relatório. "O porcentual da população urbana com abastecimento de água com canalização interna proveniente de rede geral passou de 82,3%, em 1992, para 91,6%, em 2008", afirma o estudo.
Já o saneamento básico ainda deixa a desejar nas áreas rurais. Nas grandes cidades a cobertura da coleta de esgotamento sanitário por rede geral ou fossa séptica aumentou mais de 14% desde 1992 e já alcançava 80,5% da população em 2008. Enquanto isso, no campo, a cobertura por rede geral de esgotos ou fossa séptica ligada ou não à rede geral subiu de 10,3%, em 1992, para 23,1%, em 2008.
Por fim, para cumprir o ODM 8, que estabelece parceria mundial para o desenvolvimento, o país priorizou ações que promovam a ampliação de acesso a medicamentos, capacitação técnica, fomento à pesquisa e à inovação tecnológica e assistência humanitária.

domingo, 21 de março de 2010

Projeto da AAFESP fica entre as 20 melhores práticas da sociedade civil para a 3ª edição do prêmio "Objetivos de Desenvolvimento de Milênio"

No ano de 2009, a AAFESP (Associação de Anemia Falciforme do Estado de São Paulo) concorreu a 3ª edição do prêmio "Objetivos de Desenvolvimento do Milênio". Para esta edição, concorrem 1477 projetos entre sociedade civil e instituições públicas. Desses projetos, foram selecionadas as 40 melhores práticas, sendo 20 da sociedade civil e 20 de instuições públicas. A AAFESP ficou classificada entre as 20 instituições da sociedade civil com melhores práticas de intervenção social no Brasil e, para essa edição, foi a única ONG classificada no estado de São Paulo. Todas as 40 melhores práticas de intervenção serão publicadas na revista ODM - Edição 2009. O projeto apresentado pela AAFESP, para essa edição, intitulado "Mãe do Corpo", contempla o 3º Objetivo do Milênio (Igualdade entre os sexos e valorização da mulher). Este projeto é um conjunto de ações desenvolvidas pela AAFESP em instituições de educação e saúde e comunidade em geral que enfocam a alta mortalidade por câncer do colo do útero nas mulheres negras, na cidade de São Paulo. Um dos principais produtos do projeto é o vídeo-documentário "Mãe do Corpo", que aborda as causas, prevenção e consequências do câncer do colo do útero, além de enfocar o comportamento masculino e feminino de forma objetiva e ilustrado por fatos relatados por homens e mulheres. Este projeto foi desenvolvido com o apoio do Ministério da Saúde e SESC-SP.
A solenidade de premiação da 3ª edição do prêmio "Objetivos de Desenvolvimento do Milênio" e do lançamento da 4ª edição do Relatório de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, será realizada no dia 24/03/2010 (quarta-feira) às 17:00 horas, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães - Auditório Planalto - Endereço: SDC - Setor de Divulgação Cultural - Eixo Monumental - Brasília / DF. Para os que desejarem participar do evento, deverá ser enviada a confirmação de presença para o e-mail: coordenacaoodm@planalto.gov.br
Atenciosamente,
Diretoria da AAFESP

quinta-feira, 18 de março de 2010

terça-feira, 16 de março de 2010

Reunião FOCO 3 - Comitês Regionais

Queridos integrantes do Círculo de Diálogo - FOCO3 – Comitês Regionais - do Movimento Nós Podemos São Paulo,

Contamos agora com o retorno da Ana Soraya ao grupo e estamos confirmando mais um Círculo de Diálogo:

Data: 18 de março
Hora: 14:00 às 16:00
Local: sala 1120 na FIESP

Pauta (proposta pela Soraya):

1) continuidade/conclusão da elaboração da Carta de Princípios, já iniciada;

2) formalização para Constituição dos Comitês ODM;

3) planejamento das ações para mobilização e constituição dos Comitês ODM;

4) desafio da troca de informações sobre as atividades desenvolvidas pelos Comitês ODM;

Agradecemos a participação de todos,

Solenidade do 3º Prêmio ODM - Ao vivo pela Internet

Colegas do Movimento,

Haverá transmissão ao vivo PELA INTERNET da Solenidade de entrega da 3.ª ed. do Prêmio ODM Brasil no site do Prêmio e no Portal ODM. Veja detalhes no e-mail marketing no final da mensagem. Para assistir, acesse estes sites dia 24/03/2010).


Veja também:


Nós Podemos Alagoas doa vidros e recebe noções sobre aleitamento materno
http://www.odmbrasil.org.br/noticias_detalhes/56/nos-podemos-alagoas-doa-vidros-e-recebe-nocoes-sobre-aleitamento-materno

Movimento Pró-Criança, de PE, faz obras de acessibilidade
http://www.odmbrasil.org.br/noticias_detalhes/57/movimento-pro-crianca--faz-obras-de-acessibilidade

Nós Podemos PR lança núcleo em Tibagi
http://www.odmbrasil.org.br/noticias_detalhes/58/nos-podemos-pr-lanca-nucleo-em-tibagi


Sheila Lange
Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade
Fone:+55(41)3271-7672 Fax:+55(41)3271-7515
email: sheila.lange@sesipr.org.br
Site: http://www.odmbrasil.org.br
http://www.portalodm.com.br
http://www.nospodemos.org.br

terça-feira, 9 de março de 2010

Notícias Nós Podemos

Colega do Movimento,

Estamos preparando o site do Movimento Nacional de Cidadania e Solidariedade. A previsão é que ele entre no ar até 20 de março. Enquanto não fica pronto, continuamos usando o site do Prêmio para divulgar ações do Nós Podemos e de seus núcleos estaduais.

As últimas notícias são:


http://www.odmbrasil.org.br/noticias_detalhes/53/encontro-em-recife-reune-nucleos-do-nos-podemos-dos-estados-nordestinos-

http://www.odmbrasil.org.br/noticias_detalhes/54/odm-municipalizar-para-alcancar-os-objetivos

http://www.odmbrasil.org.br/noticias_detalhes/55/premiacao-sera-dia-24-de-marco-em-brasilia

Veja também algumas fotos das reuniões regionais. (Se tiver fotos e informações das reuniões do Centro-oeste, Sudeste e Norte, agradeceria muito se me enviasse para eu publicar no site).

Att,
Sheila Lange
Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade
Fone:+55(41)3271-7672 Fax:+55(41)3271-7515
email: sheila.lange@sesipr.org.br

terça-feira, 2 de março de 2010

Programação de encontros para trabalhar os FOCOS.

Caros Integrantes do Núcleo Gestor Provisório, interessados e participantes dos grupos de trabalho.

Os FOCOS de trabalho que já programaram encontros são:

FOCO 4 - COMUNICAÇÃO
Data: 04 de março de 2010 de março de 2010
Hora: 14h às 16h30min
Local: FIESP – Av. Paulista, 1313 – sala 1120 – 11º andar
Pauta: Convidada especial, Adriana Samara da “Umbrella Comunicação” para apresentação de sua experiência em uma campanha nacional anti drogas onde conseguiu levantar o equivalente à 60 milhões de reais em permutas, serviços, mídia, e produtos utilizados para divulgação e engajamento.

A entrada das pessoas na FIESP será facilitada caso consigam enviar nomes para a Elaine Machado do CORES (responsabilidade social da FIESP): cores@fiesp.org.br

FOCO 1 – FORMAÇÃO DO NÚCLEO GESTOR
Data: 05 de março de 2010
Hora: 9h às 11h
Local: Central Nacional Unimed, 3º andar – Lado Contas, localizado à Alameda Santos, 1827.
Pauta: Convidada especial Dra. Helena Cravo Roxo, advogada com especialidade no 3º setor. Tem como objetivo esclarecer questões sobre a formalização do Movimento ODM em São Paulo.

Na Unimed, quem ainda não confirmou, favor encaminhar e-mail para Rosemeire Capelossa Gomes: gomes@centralnacionalunimed.com.br

Todos são bem vindo para a participação dos FOCOS de trabalho do Movimento Nós Podemos São Paulo.

Vamos em sinais Brasil - Projeto Pedalando pela inclusão


Vamos em Sinais: Brasil

VAMOS EM SINAIS: Pedalando pela Inclusão

O projeto Vamos em Sinais, teve inicio no Brasil em 2009, através de um convite de seu idealizador, o fotógrafo alemão Sebastian Burger, ao casal de Brasileiros Raquel Couto Amaral e Diego Ferrari Bruno, além de mais três participantes alemães, juntos formaram um grupo de surdos e ouvintes de bicicleta pelo Brasil. Levando a missão de promover a divulgação da Língua de Sinais LIBRAS como adição na didática Escolar.
Em 2009, percorreu do litoral norte de São Paulo a todo litoral do Estado do Rio de Janeiro totalizando 1.200 Km. Neste percurso foram visitadas 20 instituições de ensino “Inclusivas” e especiais, tanto escolas como universidade. Nestas, foram realizadas as oficinas interativa de LIBRAS, no intuito de despertar o estimulo dos ouvintes em aprender a língua Brasileira de sinais LIBRAS. Buscava-se na conclusão desta missão, direções que proporciona-se um conjunto harmonioso e com interação maior entre surdos e ouvintes, desde o ambiente educacional, a passeios acadêmicos, lazer e entre outros.
No término da jornada do Vamos em Sinais 2009, foi constatado pelo grupo que as instituições de ensino "inclusivas",nem sempre havia professores que dominassem a Língua Brasileira de Sinais e nem intérpretes de LIBRAS suficientes para atender a todas as salas.
No entanto dar-se a importância da continuidade do projeto em 2010. Considerando resultados satisfatórios e a aceitação do projeto no Brasil.
O casal Raquel Couto (surda) e o Diego Ferrari, junto a alguns participantes irão embarca em um novo trajeto ampliado, envolvendo mais Estados do Brasil, realizando o VAMOS EM SINAIS 2010.
No decorrer desta nova temporada, serão aplicadas algumas adaptações, no intuito de um alcance mais extenso dos resultados. Como a Criação de um Mapa interativo pelo (google maps) trazendo um auxilio no trajeto do Vamos em Sinais 2010, onde é possível qualquer pessoa incluir informações como: pedidos para visitarmos a escola, faculdade e demais.
Vai ser usada também a tecnologia dos celulares, o Vamos em sinais disponibilizará de um vídeo didático em LIBRAS, onde poderá ser baixado nos celulares gratuitamente dos alunos e professores via bluetooth, wi-fi ou qualquer outro meio digital.
A saída do Vamos em Sinais 2010, esta prevista para Março de 2010 da cidade de São Paulo em direção a SUL. Convidamos a todos, a conhecerem mais sobre o projeto e se possível, estar junto conosco nesse trajeto pela inclusão social. Visite nosso Site ou entre em contato pelo ves@sur10.net e escolha sua forma de contribuir com esta empreitada: Vamos todos PEDALANDO PELA INCLUSÃO.

http://ves.sur10.net (Mais sobre o vamos em sinais 2010)